Mistura explosiva - oração e jejum

09-02-2010 21:52

O jejum ligado à oração é muito importante. E muito bom! É explosivo nos seus efeitos. É muito vantajoso e muito benéfico.

"E, quando jejuardes (...)." (Mt 6:16) "E disse-lhes: Esta casta não pode sair com coisa alguma, a não ser com oração e jejum." (Mc 9:29)

Muitas pessoas vêem o jejum como alguma coisa impossível ou inalcançavel; uma pratica exclusiva para os super espirituais, aqueles que andam um palmo acima da terra e auréolas reluzentes. Outros vêem-no como algo aborrecido e monótono demais para alguma vez ser feito. 

No entanto, o jejum e a oração são as grandes bençãos na vida do cristão. A oração, já todos o sabem e aceitam... (embora nem todos pratiquem). O jejum é que é mais complicado. Deixar de comer os bifes com batatas fritas (não esquecer o ovo estrelado...), os hamburgers, o bacalhau com natas... enfim... os fritos, os grelhados, os cozidos, os assados... e os bolos?! É melhor parar por aqui porque o tema é jejum e não gastronomia.

No entanto, se por um lado Jesus nunca obrigou a prática do jejum, também não a colocou numa perspectiva condicional, ou seja, também não disse que deveria ser uma opção, algo que faríamos só quando tivéssemos vontade. Jesus disse "quando jejuardes" e não "se". Percebes a diferença?! Não é uma ordem, mas também não é condicional. É uma benção. E é fundamental!

Há coisas que só acontecem com jejum e oração. Certa vez, os discípulos não conseguiram libertar um jovem dos demónios. Quando Jesus o libertou, os discípulos perguntaram qual a razão de não terem conseguido. A resposta foi impressionante: "Esta casta não pode sair com coisa alguma, a não ser com oração e jejum." (Mc 9:29).

Então, qual o segredo do jejum? Qual a sua razão de ser? Porque há tanta benção ao praticá-lo e tanta desvantagem e limitação na sua ausência?

É bom entendermos, à partida, que o jejum opera em nós e não em Deus. Tudo o que Deus faz fá-lo pela sua graça e não pelos nossos esforços, mesmo que sejam o jejum e a oração. O jejum, ao contrário do que muitos pensam não muda a Deus. Muda é aquele que o pratica, tornando-o mais sensível e poderoso em Deus para fazer proezas.

 

Quais os benefícios?

1 – Intimidade com Deus - O primeiro e grande benefício é uma maior proximidade com Deus, à medida que renunciamos à refeição e a outras actividades, para estarmos mais com Deus. Tudo o resto será consequência deste. Não precisamos necessariamente ter assuntos específicos para jejuarmos. Podemos fazê-lo só para estarmos mais com Ele, para o conhecermos mais.

2 – Mortificação da carne e seus desejos e renovação no Espírito

3 – Mais sensibilidade à voz de Deus e à sua vontade

4 – Acréscimo de fé, unção e autoridade espiritual

 

Quando jejuar?

1 - Quando queremos passar mais tempo com Deus; conhecê-lo mais;

2 - Quando as paixões da carne (a nossa tendência para pecar) estão a gritar muito alto e precisamos mortificar a carne;

3 - Em tempos de decisões muito importantes, em que precisamos de direcção específica e clara de Deus;

4 - Em tempos de crise ou de grandes desafios espirituais, nos quais precisamos de muita fé e poder.

 

Na Prática…

  • O jejum pode ser feito, mesmo mantendo as nossas actividades diárias (separando pelo menos o tempo da refeição para orar e buscar a Deus, evidentemente), ainda que o ideal é ficar completamente separado de afazeres para dedicar-se à oração.
  • O jejum pode ser parcial, ou seja, só alguns alimentos e bebidas específicos, mas o ideal é ser total.
  • Durante o jejum deve beber-se muita água. A água não quebra o jejum. Um procedimento diferente só com instruções muito claras de Deus.
  • O jejum pode ser só uma refeição, ainda que o ideal é pelo menos um dia (comendo ligeiramente só à noite, ou no outro dia de manhã)
  • Não se deve comer muito nem antes nem depois do jejum. É extremamente prejudicial à saúde.
  • Um jejum prolongado (com mais de um dia) requer preparação, ou seja, antes de iniciá-lo ir reduzindo os alimentos aos poucos, comendo somente vegetais no período que antecede o jejum total. O mesmo deverá ser feito no final do jejum.
  • Depois do 3º dia de jejum deixa-se de ter fome.
  • O jejum é extremamente benéfico para a saúde (excepto em caso de certas doenças. É bom consultar o médico antes, em caso de algum problema de saúde, que obrigue a medicação constante, etc.). Quando ele é prolongado limpa o corpo de muitas impurezas e tóxinas.

 

Depois de tudo isto que já foi dito, só me resta dizer mais uma coisa: do que é que estás à espera?

 

Hugo Pinto, BSteen Fevereiro 2004